Pesquisa

Método Participativo

O principal objetivo deste grupo é “revisar os materiais produzidos pelo Itepa Faculdade sobre a temática, considerando as mudanças processadas nos últimos anos, chegando a uma nova formulação das implicações do método a partir da realidade do mundo acadêmico/pastoral e da consulta bibliográfica”. Tem como metas também: a) identificar o contexto e as questões que levaram à reflexão e produção do material na época, estabelecendo paralelos com a configuração contextual atual e fazer aproximações com o tema do diálogo e da democracia; b) em 2013, o grupo está programando a produção de um artigo em que pretende incorporar as reflexões produzidas no grupo. As reuniões do grupo são quinzenais, nas sextas-feiras, à tarde.

Estudo da Teologia Índia e da Pastoral Indigenista

O grupo visa: a) à luz do Documento de Aparecida e da Teologia Índia Latino-Americana, refletir sobre a missão da Igreja Católica junto aos povos indígenas, construindo indicativos missionários com base na inculturação e na autonomia desses povos; b) desenvolver um processo de conhecimento da cultura Kaingang e Guarani a partir de referências bibliográficas e no contato direto com suas comunidades; c) refletir sobre as proposições do Documento de Aparecida a respeito da missão junto aos povos indígenas; d) pôr em evidência os referenciais teológico-pastorais formulados pela Teologia Índia Latino-Americana, construindo indicativos missionários para a atuação da Igreja Católica junto aos povos indígenas; e) colocar em evidência a temática indígena na vida do Itepa Faculdades, desafiando estudantes e professores a um olhar de bom pastor para com esta realidade que nos circunda.

Conselho Missionário do Seminário (Comise)

Este grupo visa: a) o crescimento na adesão a Cristo e a vivência da dimensão missionária da Igreja para “sair ao encontro das pessoas [...] para lhes comunicar e compartilhar o dom do encontro com Cristo, que tem preenchido nossas vidas de ‘sentido’, de verdade e de amor, de alegria e de esperança!” (DAp, 548); b) participar, de forma ativa e consciente, na missão da Igreja como discípulos missionários de Jesus (DAp, 10) e protagonistas de uma vida nova (DAp, 11); c) formar-se como discípulos missionários que respondam à vocação recebida e comuniquem por toda parte, transbordando de gratidão e alegria, o dom do encontro com Jesus Cristo (DAp, 14); d) “Crescer na assimilação das atitudes do Cristo, Bom Pastor, no seguimento de sua missão (PDV 12) e no cultivo dos mesmos sentimentos do Mestre (Fl 2,35)” (DFPIB, 302, 1); e) “Ser fermento de transformação da sociedade, pelo testemunho e ação solidária, na promoção da justiça, da fraternidade e da paz” (DFPIB, 302, 6); f) “Capacitar-se para uma visão de conjunto da ação pastoral-missionária da Igreja” (DFPIB, 302, 8); g) “Adquirir o espírito missionário e a consciência da prioridade da evangelização” (DFPIB, 302, 9); h) “Exercitar-se na dinâmica evangelizadora da Igreja toda ministerial, de modo a promover a efetiva participação do laicato na vida da comunidade e na missão da Igreja, superando atitudes clericalizantes” (DFPIB, 302, 10); i) contribuir no serviço missionário em nossas dioceses, em comunhão com as pastorais, os movimentos e os setores, despertando novos “discípulos missionários para o serviço ao mundo” (DAp, 280); j) manter contato com os padres e/ou agentes das dioceses associadas que estão em missão.

A renovação litúrgica no contexto do Vaticano II

O grupo de pesquisa sobre liturgia iniciou sua caminhada em 2010 e propõe-se: a) estudar o processo de renovação litúrgica no contexto do Concílio Vaticano II a fim de contribuir para o avanço em sua aplicabilidade; b) estudar textos e personalidades que influenciaram a renovação litúrgica e eclesial; c) observar a realidade litúrgica contemporânea a fim de compreender o processo histórico vivido; d) pesquisar nos arquivos paroquiais e diocesanos as ações relacionadas à aplicabilidade das orientações da renovação litúrgica e do Concílio como um todo; e) entrevistar pessoas que viveram o processo ou parte dele, cuja leitura histórica seja amadurecida e sintética; f) aprofundar e refletir conceitos que se tornaram determinantes no processo de renovação eclesial litúrgica; g) cultivar postura propositiva em vista do longo caminho que temos a percorrer como Igreja, comunidade fraterna; h) sistematizar as reflexões

Religiosidade popular mariana

Este grupo tem como objetivos: a)buscar entender as manifestações da religiosidade popular a partir da observação e reflexão das práticas em vista de uma ação evangelizadora mais eficaz; b) compreender as motivações do surgimento dos santuários marianos na Província Eclesiástica de Passo Fundo; c) perceber as diferentes posturas dos romeiros enquanto se dirigem para os santuários marianos ou para outras peregrinações como as da Solenidade do Corpo e Sangue de Jesus Cristo, dos Santos Padroeiros das Paróquias e Comunidades ou de movimentos reivindicatórios como Marchas do MST, Romarias da Terra, Caminho das Águas. Metodologicamente, os pesquisadores propõem-se os seguintes passos: a) resgatar informações dos estudos já realizados pelo Itepa Faculdades, sobre as Romarias Marianas; b) construir uma base teórico-teológica com a realização de estudos bibliográficos em documentos eclesiais que oficializam as romarias ou referentes à devoção mariana; c) resgatar a origem e o desenvolvimento de cada romaria, com análise do contexto sócio-político e econômico em que se inseriu esta origem (do movimento) e os desdobramentos posteriores; d) coletar dados, através de entrevistas pré-estruturadas, visando captar os objetivos e as motivações dos organizadores das romarias; e) entrevistar e analisar depoimentos dos romeiros visando perceber as motivações da participação na romaria, o conceito que construíram sobre Maria, o modo como se organizaram para participar do ato religioso, as possíveis relações de sentido com outras práticas quando da participação em outros movimentos (religiosos, celebrativos, reivindicativos ou de resistência) existentes na região como a Romaria de São Miguel e a dos Pequenos Agricultores e de outros grupos subalternos (consciência negra, indígenas, de mulheres); f) sistematizar os dados coletados e produção de texto final.

Metodologia Histórico-Evangelizadora

O principal objetivo deste grupo é ser fórum de reflexão e aprofundamento teórico e exercício dos passos da MHE, e espaço de avaliação permanente da disciplina de Metodologia e Prática Pastoral (MPP). O grupo de pesquisa usa os mesmos instrumentos metodológicos que os utilizados pela disciplina de MPP em sala de aula, a saber: o registro pessoal e o relatório das reuniões. A dinâmica da práxis pastoral, composta pelos passos da observação, do registro, da sessão de estudos e do reencaminhamento, além do estudo de textos de aprofundamento teórico, é utilizada nos encontros do grupo. A revisão dos fundamentos antropológicos, bíblico-teológicos, filosófico-antropológicos e pedagógicos, além das orientações da Igreja em termos pastorais, é objeto de estudo das reuniões. Fazem parte do grupo de pesquisa os professores da disciplina de MPP, sendo que as reuniões são quinzenais. Também a disciplina de MPP se constitui num grupo permanente de pesquisa envolvendo acadêmicos e professores.

joomla template gratuitjoomla free templates

Diocese de Chapeco

Arquidiocese de Passo Fundo

Diocese de Vacaria

Diocese de Erexim

Diocese de Frederico

© Copyright Itepa Faculdades - 2017 - Modelo desenvolvido por: Cleber, Ivanir e Giovani